Cresça sexta-feira, maio 29 2009 

image

O menino cresceu e foi desmamado. E, no dia em que o menino foi desmamado, Abraão deu uma grande festa – Gn 21.8

Abraão deu uma festa quando seu filho Isaque foi desmamado, mostrando sua alegria por ver seu filho avançando uma etapa rumo à maturidade. Quando leio este texto costumo ver aqui a alegria de Deus conosco quando crescemos mais um pouquinho, diante de cada progresso nosso. A infância é algo bonito, desde que seja vivida somente em seu devido tempo. Ou seja, só é bom ser criança no tempo de ser criança. Quando esse tempo passa, se não deixarmos de ser criança, é sinal de que alguma coisa não está normal em nossa vida, quando Jesus disse que devemos ser como crianças para entrarmos no reino de Deus, ele estava falando de alguns aspectos da criança que nunca devemos perder, ou seja, nossa dependência de Deus, nossa pureza, nossa humildade. Mas no que diz respeito às demais coisas, Deus espera que cresçamos.

(mais…)

Anúncios

A bênção do esquecimento quarta-feira, fev 18 2009 

The_Lighthouse__by_DesigningDivas

Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão – Fl 3.13

Aqui Paulo dá o segredo de avançar: esquecer das coisas que ficam para trás. Ninguém pode crescer e avançar se não receber a bênção do esquecimento. É claro que há coisas da quais Deus não quer que esqueçamos. Mas existem outras que sim, Ele quer que fiquem para trás. Há coisas que são verdadeiras âncoras, que seguram o barco de nossas vidas e impedem que vamos para frente.

(mais…)

O desconforto da mudança terça-feira, jan 27 2009 

dente_sandalia

Pois agora vou fazer uma coisa nova, que logo vai acontecer, e, de repente, vocês a verão. Prepararei um caminho no deserto e farei com que estradas passem em terras secas – Isaías 43:19

A medida que vamos caminhando vamos nos deparando com algo essencial ao nosso crescimento: as mudanças. Às vezes estamos bem confortáveis em nossas posições quando elas aparecem. Elas vem, como uma pedra que cai na água que estava tão calma e produz ondulações. Como o ser humano é propenso a se acomodar, quando as mudanças vem, o interior se agita e muitas vezes se revolta. Mas as mudanças são necessárias.

Gosto de comparar as mudanças com sapato novo. Na maioria das vezes, um sapato novo nos machuca. Ele é desconfortável comparado com o velho. Mas, o velho está se acabando e é necessário ser substituído. Também é bom lembrar que o velho, quando era novo, também machucava. O novo, pode machucar no começo, mas, aos poucos vai laceando e se ajustando ao nosso pé, e o nosso pé a ele.

Se formos avessos à mudanças e os opormos elas, chegará o momento em que pararemos de crescer e acabaremos ficando sem o novo e sem o velho. Ai seremos forçados a uma mudança.

José estava tão bem na casa de seu pai, mas, um dia as coisas mudaram e ele foi parar no Egito, como mordomo do oficial de Faraó. Como deve ter sido difícil para ele aquilo! Mas, após algum desconforto, ele se adaptou. Quando ele já havia se adaptado à vida de mordomo, se tornou presidiário. Que mudança, hein!!! Mas, até ali, ele conseguiu se adaptar. Quando já estava adaptado àquela vida, foi tirado da prisão e colocado no palácio para ser governador. As mudanças na vida de José foram drásticas, mas necessárias.

É bom vivermos cada dia com a expectativa de mudanças. Isso fará com que, quando elas vierem, nós a assimilemos melhor. Quando elas vierem, não estranhemos o desconforto. Tenhamos paciência, pois o desconforto vai passar.