Essa mulher, Jezabel sexta-feira, ago 22 2008 


‘Porém tenho contra vocês uma coisa: é que toleram Jezabel, aquela mulher que diz que é profetisa. Ela leva os meus servos para o mau caminho, ensinando-os a cometer imoralidade sexual e a comerem alimentos que foram oferecidos aos ídolos”.
Apocalipse 2.20

A igreja de Tiatira é repreendida por tolerar uma tal de Jezabel. É possível que Jesus esteja se referindo a alguém que tinha as mesmas características da rainha de Israel do tempo do profeta Elias.
E o que caracteriza alguém que é chamada de “Jezabel”? Eu acredito que o que mais é evidenciado neste “espírito de Jezabel” é a manipulação. Tanto a Jezabel do antigo testamento como a do apocalipse como as dos dias de hoje são pessoas que gostam de manipular os “Acabes” da vida. Se Jezabel é um espírito de manipulação, o espírito de Acabe é um espírito de fraqueza, de mente fraca e manipulável. As jezabeis só existem porque existem os Acabes. Onde há um Acabe, alguém fraco, inseguro e manipulável, ali também encontraremos uma Jezabel. Ela é um parasita que vive à sombra dos fracos.
Quem se opõe a Jezabel é Elias, o profeta que fala a verdade em nome de Deus.
Elias, ao contrário de Jezabel, não se importa com as aparências e sim com a vontade de Deus sendo cumprida.
Enquanto Jezabel manipula, Elias influencia.
Jezabel é religiosa, Elias é espiritual.
Jezabel causa discórdia, Elias converte o coração dos pais aos filhos e dos filhos aos pais.
Jezabel desencaminha, Elias conduz o povo a Deus.
Deus nos chama para caminharmos no Espírito e poder de Elias para resistirmos ao espírito de Jezabel

Anúncios

Santa Curiosidade terça-feira, ago 12 2008 

“Quando a multidão foi embora, as pessoas que ficaram ali começaram, junto com os doze discípulos, a fazer perguntas a Jesus sobre parábolas” – Mc 4.10

Uma coisa interessante nesse texto é o fato de que, após Jesus pregar às multidões, e elas serem dispersas, alguns permaneciam com os discípulos, e começavam a interrogar Jesus sobre o sermão pregado. Uma das características, de alguém que anela ser discipulado, anela crescer, é o desejo de perguntar para aprender. A multidão ouviu a mesma palavra, e, após o término, a maioria se foi. No entanto, uma pequena parte ali permaneceu, para interrogar a Jesus, com o intuito de entender melhor o que o Mestre ensinava.

Creio que muitos se foram, sem terem entendido a mensagem. Outros, sem querer entendê-la. Porém, havia um pequeno grupo, que ansiava compreender o que Jesus dissera e ficaram para fazer perguntas. Quem deseja crescer espiritualmente, têm o desejo de fazer perguntas.

A isso eu chamo de curiosidade santa, curiosidade sadia e abençoada. Devemos cultivá-la sempre!